quarta-feira, 31 de maio de 2017

REGRAS DE FUNCIONAMENTO DO NOVO CADASTRO DE IMÓVEIS RURAIS SÃO APRESENTADAS DURANTE BAHIA FARM SHOW 2017.

Por Hebert Regis e Nádia Borges
Da Araticum Assessoria de Comunicação


Para entender mais sobre o processo de implantação do Cadastro Nacional de Imóveis Rurais (Cnir), agricultores e consultores ambientais receberam, nesta quarta-feira (31), orientações sobre os novos procedimentos para a regularização das propriedades rurais, durante a Bahia Farm Show 2017. Na palestra, que integrou a programação oficial do segundo dia da feira, foi apresentado também o funcionamento do Sistema de Gestão Fundiária (Sigef), ferramenta que unifica as bases de dados tributários e fundiários das propriedades rurais em todo o Brasil.


“Com implantação iniciada em 2014, este sistema integra o Cafir (Cadastro de Imóveis Rurais), da Receita Federal, e o CCIR (Certificado de Cadastro de Imóvel Rural), do Incra, cuja base de dados já está 100% concluída”, explicou o representante do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) da Bahia, Miguel Pedro da Silva Neto, que aproveitou para tirar as principais dúvidas do público presente. “Esta é a primeira vez que os proprietários rurais declararam o Imposto de Renda depois da implantação do Sigef. Em caso de alguma desconformidade, os proprietários ainda precisam procurar o Incra ou a Receita Federal, separadamente”, orienta.


Para o gerente administrativo do Grupo Iowa, Fabrício Barbosa, a palestra na Bahia Farm foi a oportunidade para entender melhor as mudanças relacionadas ao sistema fundiário. “Lidamos com essa demanda de forma rotineira, e, muitas vezes, são várias interpretações da legislação e das rotinas e existe muita confusão na questão fundiária, a depender da fonte de informação, a exemplo de cartórios e órgãos de fiscalização”. Para Eduardo Costa, diretor da Agrocen, consultoria ambiental que trabalha com servidão ambiental, a palestra veio para aprofundar melhor o tema e tirar as dúvidas relacionadas ao Sigef. “A unificação do sistema é um avanço e vai ajudar a corrigir as possíveis falhas no cadastro de imóveis rurais”, acredita.


A vinculação dos cadastros deverá ser realizada por meio da Declaração para Cadastro Rural (DCR), sendo obrigatório para aqueles que declaram o ITR, e possuem imóveis rurais acima de 50 hectares. Para obter mais informações e ter acesso ao cadastro rural basta acessar os sites www.cadastrorural.gov.br ou www.sigef.incra.gov.br. A programação oficial de palestras da Bahia Farm Show 2017 prossegue até o sábado (3).

Araticum 31/05/2017

SERVIÇO:
Bahia Farm Show 2017
Data: 30 de maio a 03 de junho de 2017
Local: Complexo Bahia Farm Show: BA 020/242, km 535 - Luís Eduardo Magalhães – Bahia
www.bahiafarmshow.com.br

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:
Hebert Regis – (77) 99978 0913 ou hebert@araticum.jor.br
Nádia Borges – (77) 99115 8050 ou nadia@araticum.jor.br

TECNICAMENTE VIÁVEL E COM UTILIZAÇÃO EFICIENTE DA ÁGUA, A IRRIGAÇÃO INTELIGENTE PODE SER A NOVA ALIADA DO PRODUTOR DO MATOPIBA.

Por Hebert Regis e Nádia Borges
Da Araticum Assessoria de Comunicação

O estudo sobre a irrigação inteligente desenvolvido pela Embrapa e pela Universidade da Georgia, nos Estados Unidos, foi apresentado durante a Bahia Fam Show 2017

Fatores como o crescimento da população e, consequentemente, o aumento do consumo per capita são indicativos para a expansão da agricultura irrigada, apontada como a principal alternativa para quebrar o ciclo da pobreza. Neste contexto, a palestra “Irrigação Inteligente”, sob o comando do especialista no assunto André Torre Neto, da Embrapa, foi apresentada a produtores rurais, estudantes e técnicos nesta quarta-feira, 31, segundo dia da Bahia Farm Show 2017.

Um estudo desenvolvido pela Universidade da Georgia, nos Estados Unidos, sobre a utilização da irrigação inteligente na agricultura foi apresentado pelo professor. O projeto está sendo trazido e começa a ser adaptado à realidade brasileira, pela Embrapa, em parceria com a universidade americana. A proposta é aumentar a produtividade e a qualidade dos produtos, diminuir o consumo de água e energia e reduzir os custos de bombeamento e ao mesmo tempo, contribuir para a preservação das fontes de água.


A irrigação inteligente prevê a utilização de sensores de solo espalhados estrategicamente em zonas de manejo.  “A partir desses delineamentos é possível mapear a aplicação da irrigação a taxas variadas, com controle específico da necessidade da quantidade de água de acordo com a topografia do solo, textura, estrutura e obstáculos como valas de drenagem”, explicou Neto.

Estes sensores distribuem os dados via rádio, e, em tempo real, é possível visualizar os resultados, por meio de gráficos e mapas que apresentam o nível de água consumida em cada ponto e, ainda, se a água está chegando de forma rápida ou lenta. “É uma riqueza de informações”, complementou o pesquisador. Segundo ele, a tecnologia deve ser acessível aos brasileiros após mais alguns testes e estudos. Batizado de Projeto SWAMP, o programa está desenvolvendo uma nova geração de sensores específicos para os solos do Matopiba, e busca estabelecer o manejo de irrigação adequada específica para esta região. “O que se pretende é ter uma solução nacional, e estamos trabalhando para isso: a irrigação inteligente como a mais moderna alternativa para quebrar o ciclo da pobreza”, conclui.


Araticum 31/05/2017

SERVIÇO:
Bahia Farm Show 2017
Data: 30 de maio a 03 de junho de 2017
Local: Complexo Bahia Farm Show: BA 020/242, km 535 - Luís Eduardo Magalhães – Bahia
www.bahiafarmshow.com.br

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:
Hebert Regis – (77) 99978 0913 ou hebert@araticum.jor.br
Nádia Borges – (77) 99115 8050 ou nadia@araticum.jor.br

ZÉ CURICA SOFRE ACIDENTE GRAVE - MOTO ENTRA EM CERCA DE ARAME FARPADO DENTRO DE SUA PROPRIEDADE NA ZONA RURAL DE SANTA RITA DE CÁSSIA/BA.

Por Luciano Guedes 
Editor do DRP
Com informação e imagem publicadas na rede social WhatsApp 

O santa-ritense Zé Curica sofreu um acidente grave de moto neste último dia do mês de maio de 2017- dentro de sua propriedade na zona rural do município de Santa Rita de Cássia - Bahia.

Zé Curica combinou com o seu filho fazer uma cerca de arame farpado dentro da roça. Acontece que ele passou alguns dias sem ir à roça. Nesse intervalo, o filho fez a cerca, mas não avisou ao pai. Este resolveu ir na propriedade e não percebeu a cerca. Acabou entrando com a motocicleta no arame farpado da cerca que atingiu de forma profunda a face do seu rosto.


O senhor Curica estava sem garupa, teve muita sorte por um rapaz que - apesar de sofrer de problema de vista - o viu acidentado e chamou o SAMU.

Curica é funcionário concursado da Prefeitura, não corre risco de vida. Está sendo muito bem tratado com medicamentos pela equipe do Hospital desse Município do Vale do Rio Preto do Oeste Baiano.

PRODUTORES DO OESTE DA BAHIA CONHECEM NOVAS POSSIBILIDADES DE ACESSAR O MERCADO EXTERNO.

Por Hebert Regis e Nádia Borges
Da Araticum Assessoria de Comunicação

As Zonas de Processamento de Exportação (ZPE´s) operam com suspensão de impostos, liberdade cambial e procedimentos administrativos simplificados

Produtores do oeste da Bahia discutiram, nesta quarta-feira (31), durante a Bahia Farm Show 2017, formas de investimentos na exportação de produtos do agronegócio, através de uma Zona de Processamento de Exportação (ZPE).  A temática foi conduzida pelo representante do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e também responsável pela fiscalização do conselho que coordena as ZPE’s, Leonardo Santana. “Nosso foco é a exportação, vamos buscar formas de viabilizar investimentos no agronegócio da região neste sentido”, pontuou ao demonstrar como funciona o regime de vendas da matéria prima produzida no Brasil, via as zonas de processamento, para outros países.


O Brasil possui 25 zonas de exportação, destas apenas uma é na Bahia, a qual está em fase final de implantação, no município de Ilhéus. Segundo o diretor responsável, Otávio Pimentel, a logística funcionaria com o envio da produção oriunda do oeste para essa unidade para ser, posteriormente, comercializada para outros países. As empresas que participam dessa zona de processamento operam com suspensão de impostos, liberdade cambial e procedimentos administrativos simplificados – com condição de destinarem 80% da produção ao mercado externo.

Traçando um panorama da agricultura regional, o presidente da Bahia Farm Show e da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Celestino Zanella, destacou que atualmente o oeste da Bahia possui potencial para exportação de soja, algodão e milho. “Temos 5 milhões de hectares para trabalhar no desenvolvimento do agronegócio regional, porém para que cheguemos ao nível de exportar todo esse volume de produtos é preciso investir em estrutura que auxilie o produtor”, ressaltou. Zanella disse, ainda, que o agricultor precisa conhecer a fundo o que é uma ZPE, para, assim, fazer um levantamento do que a região pode exportar, e trabalhar formas para que isso aconteça.

A questão da utilização das zonas de processamento pelos agricultores do oeste já está na pauta de reivindicações da Aiba há algum tempo. Em novembro do ano passado, a associação assinou um protocolo de intenções com o governo do Estado, cujo objetivo é viabilizar o escoamento das commodites agrícolas até Ilhéus, por meio da Ferrovia de Integração Oeste/Leste (Fiol), ainda sem previsão de ser concluída. A concretização desta parceria visa aumentar a produção de graneis agrícolas da região, alavancando ainda mais o setor do agronegócio, que já possui grande participação no Produto Interno Bruto (PIB) da Bahia.

Araticum 31/05/2017

SERVIÇO:
Bahia Farm Show 2017
Data: 30 de maio a 03 de junho de 2017
Local: Complexo Bahia Farm Show: BA 020/242, km 535 - Luís Eduardo Magalhães – Bahia
www.bahiafarmshow.com.br

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:
Hebert Regis – (77) 99978 0913 ou hebert@araticum.jor.br
Nádia Borges – (77) 99115 8050 ou nadia@araticum.jor.br

LUCRO PERDIDO NA LAMA DAS ESTRADAS DE FORMOSA DO RIO PRETO/BA.

Por Marcela Caetano, de Formosa do Rio Preto
Publicado na Revista Dinheiro Rural 

Na Chapada da Garganta, no oeste baiano, uma das principais regiões de cultivo de grãos do País, a infraestrutura logística engole parte da produção das fazendas



De carro, caminhão ou moto, o trajeto de cerca de 300 quilômetros que separam o município de Formosa do Rio Preto, no extremo oeste da Bahia, do município de Dianópolis, na divisa com o Estado do Tocantins, é feito aos sobressaltos. No início de abril, trafegar de um ponto a outro exigia disposição para enfrentar uma infinidade de buracos e uma via que mais se parecia com um mar de lama, depois de três semanas de chuvas. Todos os anos, a cena é comum em período de colheita na região da Chapada da Garganta. Com precipitação média anual de 1,6 mil milímetros, o nome designa uma área de Cerrado de 250 mil hectares, dos quais cerca de 150 mil são cultivados com grãos, especialmente a soja. “Todo ano é assim, basta chover e o caminhão não passa”, diz o caminhoneiro Augusto José Lopes, 44 anos, que está na foto de abertura desta reportagem de DINHEIRO RURAL, esperando por ajuda ao lado de sua carreta atolada. “A sorte é que estou indo buscar uma carga e o caminhão não está cheio, ou tombaria.” Lopes enfrenta a estrada há dez anos. Ela é o caminho para retirar a produção do campo e, embora tenha alguns trechos asfaltados, volta a ter boas condições só no Tocantins, na rota que leva aos portos do Norte e também aos armazéns de grandes tradings. Na região da Garganta há 60 produtores, espalhados por nove municípios, muitos deles vindos de colônias da região do Sul.


A Bahia é responsável por cerca de 4% da produção agrícola do País, de acordo com dados da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba). Especialmente o oeste baiano é uma região em crescimento acelerado, graças às plantações de milho, algodão, café e, principalmente, soja. Nesta safra, a Bahia deve colher 7,7 milhões de toneladas destas culturas, em 2,4 milhões de hectares, dos quais 5,3 milhões de toneladas são de soja. O oeste é parte significativa do novo eldorado brasileiro, o Matopiba, região de 73,1 milhões de hectares nas confluências do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, considerada a última fronteira agrícola em expansão no mundo. Ou seja, o que acontece no oeste baiano impacta os resultados dessa nova região.

No caso da logística, embora os produtores lutem para amenizar o caos que impera nesse pedaço do País, eles sofrem os mesmos desafios para tirar a safra do campo, como ocorre em áreas agrícolas importantes de outros Estados, entre eles Mato Grosso, Goiás e Pará. A dificuldade no escoamento da safra gera prejuízos, diz o agricultor Marildo Mingori, 55 anos. Ao lado dos irmãos Marcelino e Maximino, ele comanda a fazenda Mingori, de 23 mil hectares, em Formosa do Rio Preto. Da área total, 13 mil hectares são dedicados à soja, com a produção entregue para as tradings americanas Bunge e Cargill. Na safra 2016/2017, Mingori colheu 75 sacas por hectare, em média, equivalentes a 58,5 mil toneladas do grão. A produtividade alcançada na propriedade é espetacular, muito superior ao desempenho médio baiano, previsto em 56 sacas por hectare. Mas a estrada engole parte desse desempenho. “O custo do transporte é de R$ 4 por saca”, diz o produtor. “Se a estrada fosse boa, seria de apenas R$ 1,50.” Ou seja, neste ciclo 2016/2017, Mingori gastou R$ 3,9 milhões com frete para a soja, mas se houvesse uma estrada decente poderia ter gasto R$ 1,46 milhão.


O fato é que, na ponta do lápis, somente nesta safra estão indo para o ralo da ineficiência logística R$ 2,43 milhões em uma única fazenda, embora a propriedade de Mingori tenha silos com capacidade para armazenar 60 mil toneladas de grãos. Carlos Schmidt, gerente de marketing da New Holland para agricultura de precisão, empresa do grupo CNH Industrial, que pertence à italiana Fiat e que atua fortemente na região do oeste baiano, afirma que o grande problema dos produtores é justamente chegar até o silo por causa das péssimas estradas. Cada caminhão quebrado ou atolado significa cerca de 40 toneladas de grãos fora da corrida para os portos ou para abastecer o mercado interno. “Quando um produtor começa a colher os outros estão fazendo o mesmo processo, o que aumenta muito o tráfego na região”, diz Schimdt. “Nesse tempo, chega a faltar caminhões.” De acordo com Luiz Stahlke, assessor de Agronegócio da Aiba, as consequências são desastrosas para todos os lados que se olhe. “Além das más condições das estradas levar a um frete mais caro, muitos caminhoneiros não querem transportar grãos pela região da Garganta”, afirma Stahlke.


POR CONTA A tentativa dos agricultores em fazer com as próprias mãos, não esperando pelo poder público, tem sido uma das soluções para amenizar as perdas com logística. Segundo a Aiba, o desperdício no transporte de grãos chega a 60 mil toneladas por safra. Um desses paliativos nasceu em 2014 com a criação do Fundo para o Desenvolvimento da Agropecuária da Bahia (Prodeagro), conhecido como Fundão. O fundo, que tem como um de seus focos a infraestrutura, foi regulamentado pela Secretaria de Agricultura do Estado e no qual fazem parte a Aiba, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) e a Fundação de Apoio à Pesquisa e o Desenvolvimento do Oeste Baiano (Fundação Bahia). Os recursos financeiros são obtidos por meio de crédito fiscal concedido às indústrias processadoras de soja, milho e café na aquisição junto ao produtor. Ao receberem o crédito tributário, elas repassam os valores automaticamente para o Fundão. “A intenção é que as obras sejam feitas com o menor custo possível para o agricultor”, diz Stahlke.

No caso de Mingori, por exemplo, a contribuição é equivalente a duas mil sacas por safra (neste ciclo foram R$ 104 mil) para a melhoria das rodovias de acesso à sua fazenda e a de seus vizinhos. “Nunca vi nenhum governo ajudar os produtores aqui na região”, afirma o agricultor gaúcho que chegou há 31 anos no oeste da Bahia e que está entre os pioneiros no cultivo de grãos. “Quando a estrada está acabada, somos nós que temos de reparar.” A execução das obras financiadas pelo Prodeagro fica por conta da Patrulha Mecanizada, um programa criado em 2013 pela Abapa para executar melhorias em estradas, sejam elas vicinais ou rodovias. De acordo com David Tavares de Magalhães, coordenador da Patrulha Mecanizada, desde o começo do projeto já foram recuperados 900 quilômetros de 40 trechos de estradas. Foram investidos R$ 11 milhões até 2015, mas com a meta de acelerar as provisões o valor para a safra 2016/2017 subiu para cerca de R$ 6 milhões. Dados da Aiba apontam que, apenas na região da Garganta, o aporte foi de R$ 1,7 milhão em 2016 e deverá chegar a R$ 2 milhões em 2017. “O escoamento da safra é um dos nossos maiores problemas”, afirma Magalhães. “Ao tráfego intenso e à chuva do período da colheita, se soma o solo arenoso da região.”


Até o final do ano, o Prodeagro deve bater a meta de mil quilômetros recuperados. Está prevista a realização de obras em outros 300 quilômetros no oeste baiano, entre os quais parte da estrada da região da Garganta. “Com as obras programadas, o frete chega a ficar 20% mais barato, em média”, diz Magalhães. A primeira fase é de terraplenagem das estradas, que passam por manutenção preventiva sempre que preciso. É o mínimo necessário para aliviar a situação dos produtores. Mas há intenção de utilizar cascalho, o que aumentaria a durabilidade dos reparos para até cinco anos. A melhoria das estradas de acesso aos portos do Norte do País é a saída para desafogar as congestionadíssimas BR 242 e BR 324, que ligam a região, partindo de Luis Eduardo Magalhães, município de referência do oeste baiano, para o porto de Salvador. Nesse trecho, a média de tráfego diário é de cerca de 1,1 mil caminhões carregados com grãos ou com insumos agrícolas. Mas, no pico da safra de soja, o número de carretas sobe para três mil veículos por dia. É, definitivamente, um tema que precisa ser discutido com urgência. Como bem disse o ministro Blairo Maggi, recentemente, “dinheiro que estava na mesa, de uma grande colheita, está indo para o ralo, nos buracos das estradas. Dá pena de ver.”

TECNOLOGIA QUE LEVA EFICIÊNCIA NA GESTÃO DAS PROPRIEDADES RURAIS É DESTAQUE DURANTE BAHIA FARM SHOW 2017.

Por Hebert Regis e Nádia Borges
Da Araticum Assessoria de Comunicação

A busca por novas tecnologias para impulsionar o desenvolvimento das atividades no campo tem incentivado empresas de diversos segmentos a investir em inovação para atender a demanda de produtos para atender o agronegócio, setor responsável por 23% do PIB nacional. Durante a Bahia Farm Show 2017, aberta ao público desde a última terça-feira (31), estarão expostas as tecnologias que levam mais eficiência e segurança na gestão das propriedades rurais dos pequenos, médios e grandes agricultores.  


A empresa ATFC trouxe para a feira equipamentos de balizamento e iluminação de pistas de pouso em propriedades rurais. O sistema possui placas que captam energia fotovoltaica, sendo compostas por baterias para armazenamento e sistema de comunicação sem fio. “Não precisa ter alguém em solo para ligar o sistema. A pessoa pode acionar a iluminação da pista, de dentro do avião. O produtor pode, também, controlar o sistema e a intensidade da iluminação em um raio de 1500 metros. Serve para casa, comércio e fazenda”, destaca um dos sócios, Alexandre Tavares.

A agricultura de precisão também está presente na Feira. A companhia norte-americana Ag Leader oferece aos produtores um sistema de GPS para máquinas agrícolas, que pode ser utilizado na preparação do terreno, no plantio e na colheita. À medida que a máquina faz o trabalho, o sistema apresenta os números em um monitor de LED. Os dados podem ser enviados por uma conexão wi-fi para celulares e para a central na sede da propriedade.


Soluções para reduzir custos e evitar prejuízos na produção podem ser encontradas em softwares de monitoramento, gestão e controle. A Agrosmart trouxe para a Bahia Farm um sistema para ser empregado no acompanhamento do manejo da irrigação, monitoramento da umidade do solo, registro de índices pluviométricos, emissão de relatórios de consumo de água e energia e levantamentos sobre previsão meteorológica.

Já a Ampla Integração Soluções em Tecnologia traz soluções voltadas para a segurança das propriedades com a instalação de softwares analítico inserido nas câmeras para captura e gravação de imagens. “São tecnologias importantes para manter seguros ambientes das fazendas que guardam produtos de alto valor agregado”, explica Claúdio Duran, responsável pela área de desenvolvimento de negócios da empresa.


Além de máquinas e implementos agrícolas, estas tecnologias se destacam principalmente na área do pavilhão coberto dentro do Complexo da Bahia Farm Show. “A feira traz um pacote diversificado de tecnologias para os agricultores e todos aqueles que estão diretamente envolvidos com o agronegócio. Este aspecto de inovação em todos os processos que envolvem a produção rural estarão reunidos em um só local”, explica a coordenadora geral da feira, Rosi Cerrato. Com a presença de cerca de 200 expositores e 600 marcas, a Feira estará aberta ao público até sábado (3). Os ingressos custam R$ 10,00, sendo R$ 2,00 revertidos para o Hospital do Oeste.

Araticum 31/05/2017

SERVIÇO:
Bahia Farm Show 2017
Data: 30 de maio a 03 de junho de 2017
Local: Complexo Bahia Farm Show: BA 020/242, km 535 - Luís Eduardo Magalhães – Bahia
www.bahiafarmshow.com.br

 INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:
 Hebert Regis – (77) 99978 0913 ou hebert@araticum.jor.br
Nádia Borges – (77) 99115 8050 ou nadia@araticum.jor.br

EM RESPOSTA A VÍDEO - EMBASA REFORÇA QUE ESGOTO QUE CAI EM RIO DA CIDADE DE LUÍS EDUARDO MAGALHÃES/BA É ORIGINADO DA REDE DE ÁGUA DA CHUVA.

Pela Assessoria de Comunicação da Embasa
Da Unidade Regional de Barreiras (UNB)

Em resposta ao vídeo que circula nas redes sociais de esgoto que cai diretamente em um rio de Luís Eduardo Magalhães, a Embasa informa que trata-se de esgoto que jogado pelos imóveis do bairro Santa Cruz diretamente nas ruas ou na rede de drenagem (água de chuva) que escoa por um bueiro até desaguar no rio. Não se trata, portanto, da rede de esgotamento sanitário operado pela empresa na cidade.

A Embasa vem acelerando as intervenções para que tenha início a operação do sistema de esgotamento sanitário nesta região da sede do município. As equipes da empresa devem finalizar até meados do próximo mês a substituição de uma rede tronco principal, chamada de interceptor, que vai conduzir os esgotos dos imóveis que futuramente se ligarão à rede de esgoto até a estação de tratamento. No entanto, em locais onde não há rede de esgoto em operação, os imóveis devem destinar a água servida de banheiro, cozinha e lavanderia diretamente para uma fossa asséptica, e não para a rede de água de chuva.

É preciso ressaltar que a implantação de nova rede de 746 metros só acontece por causa da instalação irregular de cerca de 30 casas em cima da antiga estrutura, construída pela Codevasf, responsável pela construção do sistema de Luís Eduardo Magalhães. Somente neste trecho, a Embasa vem investindo com recursos próprios, R$ 700.000,00 (setecentos mil reais). Para ampliar a cobertura em esgotamento sanitário e incorporar novos imóveis ao sistema, a Embasa vem investindo, com recursos próprios, R$ 4,3 milhões para interligar mais 4,2 mil imóveis ao sistema de esgotamento sanitário.


DEPUTADO ANTONIO HENRIQUE JÚNIOR MOSTRA OTIMISMO NA ABERTURA DA BAHIA FARM SHOW 2017.

Pela Assessoria de Comunicação di Deputado Estadual Antonio Henrique Júnior (PP/BA) - (71) 3115-7209


O deputado Antonio Henrique Júnior participou nesta terça-feira (30) da abertura da Bahia Farm Show, a maior feira de tecnologia agrícola e de negócio do norte e nordeste do Brasil. Ao lado do vice-governador João Leão, do secretário de Agricultura, Vitor Bonfim, e do presidente da Desenbahia, Otto Alencar Filho, o parlamentar elogiou a estrutura da feira e se mostrou otimista.



“No ano passado, a feira teve saldo de R$ 1.014 bilhão em volume de negócios e este ano a expectativa é superar essa marca. Isso mostra que, apesar da crise, o agronegócio e a agricultura familiar podem ser motores para alcançar a rota do crescimento novamente”, afirmou Antonio Henrique Júnior.



Comitiva - Os deputados da Comissão de Agricultura e Política Rural também marcaram presença no evento. Membro da comissão, o deputado disse ser fundamental manter o diálogo com produtores de maneira a observar empecilhos à produção e questões que precisem de apoio do poder público. “A ALBA está aberta ao diálogo, daí a importância desta visita dos deputados à Bahia Farm Show”, explicou.

MOÇA FORMOSENSE DESAPARECIDA EM BARREIRAS/BA PUBLICA NO FACEBOOK QUE FUGIU DE CASA POR QUE SOFREU TENTATIVA DE ESTUPRO DO PADASTRO.

Por Luciano Guedes 
Editor do DRP
Com informações publicadas no Facebook e no Blog do Sigi Vilares 

A jovem estudante Jackline Cardozo, de 17 anos, natural de Formosa do Rio Preto - Bahia, havia saída de sua residência, em Barreiras - Bahia, às 7 horas da manhã de domingo, 28 de maio de 2017, e não voltou mais para casa.

Os familiares registraram na segunda-feira (29) um boletim do desaparecimento na Delegacia de Polícia da Capital do Oeste Baiano, informando que a jovem teria saído de casa para fazer um trabalho escolar.

No mesmo dia desse registro a garota publicou no Facebook que estava bem, mas que não voltaria para casa depois de tudo o que aconteceu...

Na tarde de terça-feira (30) os familiares informaram no Blog Sigi Vilares que a jovem foi encontrada em Brasília/DF e que já estava retornando para casa.

Acontece que a adolescente revelou em uma publicação no Facebook o acontecido que a levou sair de casa.

Veja abaixo que ela diz ter sido vítima de uma tentativa de estupro do padrasto.


DISPUTA TERRITORIAL NA DIVISA ENTRE BAHIA E TOCANTINS É FOCO DE SESSÃO DA ALBA DURANTE A BAHIA FARM SHOW 2017.

Por Hebert Regis e Nádia Borges
Da Araticum Assessoria de Comunicação


Deputados baianos, membros da Comissão de Agricultura e Política Rural da Assembleia Legislativa da Bahia, realizaram na tarde desta terça-feira (30) uma sessão itinerante, durante o primeiro dia da Bahia Farm Show 2017, em Luís Eduardo Magalhães. O encontro, comandado pelo presidente da Comissão, deputado estadual Eduardo Salles, se transformou em um espaço de diálogo entre os produtores do oeste e o legislativo. Na ocasião, foram apresentadas as principais demandas de interesse do setor agrícola, como a disputa territorial na divisa entre a Bahia e Tocantins, por exemplo. Esta é a segunda vez que a Comissão promove uma reunião dentro da feira.

Pioneiro na região, ao ter se instalado na região há 37 anos, o produtor Odacil Ranzi aproveitou a presença dos parlamentares e cobrou uma ação mais efetiva do governo do Estado para resolver a questão da disputa territorial na divisa entre os estados da Bahia e Tocantins. “É preciso que o Estado esteja mais presente nesta área e ofereça mais apoio aos agricultores. A Bahia tem que abraçar aquela região e levar mais educação, saúde, energia e estrada para aqueles que morem e produzam por lá”, reivindicou.


Com o esforço dos agricultores, por meio das associações e sindicatos dos produtores rurais, foram realizados levantamentos com os registros e nomes das fazendas, desde a localidade de Roda Velha até a localidade de Panambi, para identificar o interesse e o desejo daqueles que estão instalados nas áreas de disputa territorial. “Neste trecho, todos concordaram em permanecer na Bahia. Há demandas nas localidades de Bela Vista e Placas, por exemplo, na divisa da Bahia, de pessoas que têm títulos ainda emitidos pelo estado de Goiás. Esses títulos estão espalhados pelo Brasil, e volta e meia aparece algum aventureiro reclamando a posse destas terras”, reforça Odacil, que vem representando a Aiba e os demais agricultores nesta esfera junto ao Governo do Estado.

Na oportunidade, o deputado estadual Eduardo Salles reforçou que o vice-governador da Bahia, João Leão, tem cobrado mais ação dos secretários na Vila Panambi (área de divisa entre Bahia e Tocantins). “Esta é uma terra que é da Bahia, e precisamos fazer com que quem ali vive, sinta-se acolhidos pelo estado da Bahia, e não por Tocantins”. Os agricultores solicitaram dos deputados celeridade na assinatura de um convênio entre os dois estados, de acordo com as regras definidas pela Aiba e o Sindicato Rural dos Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães, como forma de pacificar a questão.


Ao contribuir com o debate, o presidente da Bahia Farm Show e da Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Celestino Zanella, acredita que esta oportunidade é fundamental para levar os pleitos dos agricultores dentro de uma esfera que pode prejudicar, e até mesmo inviabilizar, a atuação dos produtores rurais na região. Também foram debatidos dentro da sessão itinerante questões como as altas taxas dos cartórios e a burocracia nos processos de licenciamentos ambientais. Cinco deputados marcaram presença na sessão: Luiz Augusto (PMDB), Heber Santana (PSC), Gika Lopes (PT), Samuel Júnior (PSC) e Eduardo Salles (PP). O presidente da Aiba, Celestino Zanella, e o presidente da Abapa contribuíram com o debate.


Araticum 30/05/2017

SERVIÇO:
Bahia Farm Show 2017
Data: 30 de maio a 03 de junho de 2017
Local: Complexo Bahia Farm Show: BA 020/242, km 535 - Luís Eduardo Magalhães – Bahia
www.bahiafarmshow.com.br

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:
Hebert Regis – (77) 99978 0913 ou hebert@araticum.jor.br
Nádia Borges – (77) 99115 8050 ou nadia@araticum.jor.br

PARÁBOLA DO VEREADOR PASTOR JOÃO: "OS DOIS EMPREGADOS DO PATRÃO".

Por Luciano Guedes 
Editor do DRP

O vereador pastor João contou uma parábola na sessão da Câmara Municipal de Santa Rita de Cássia - Bahia, realizada na noite de segunda-feira, 29 de maio de 2017.

A parábola conta que existia um patrão e dois empregados, o primeiro empregado foi chamado 5 vezes pelo patrão para trabalhar - sendo que foi admitido 3 vezes e demitido 2 vezes pelo patrão.

O segundo empregado foi chamado 6 vezes pelo patrão para trabalhar - sendo admitido todas as vezes pelo patrão.

Então, qual é o melhor empregado para o patrão?

Provalvemente você responderia que o melhor empregado é o segundo, pois nas 6 vezes que foi chamado pelo patrão para trabalhar, foi admitido todas as vezes. Enquanto o primeiro empregado foi admitido 3 das 5 vezes que foi chamado pelo patrão para trabalhar.

Jesus Cristo também contou uma parábola, só que ao invés de um patrão e dois empregados, a parábola tratava de um pai e dois filhos.

Esse pai disse ao primeiro filho para trabalhar na vinha (plantação de uva). O filho disse que não ia; mas, arrependendo-se foi.

O pai deu essa mesma ordem para o segundo filho. Este disse que iria trabalhar na vinha, mas não foi.

Então, o Mestre Jesus pergunta: Qual dos filhos fez a vontade do pai?

A passagem bíblica conta que os ouvintes de Jesus respoderam que o primeiro filho fez a vontade do pai; pois, apesar de num primeiro momento ter dito não, acabou indo ao trabalho. Diferente do segundo filho que disse que iria trabalhar na vinha do pai, mas na foi.

No contexto da parábola sobre o patrão e os seus dois empregados, pastor João explica que o patrão é o povo santa-ritense.

O primeiro empregado é o atual prefeito de Santa Rita de Cássia - Bahia, Romualdo Rodrigues Setúbal; pois disputou a eleição para prefeito 5 vezes consecutivas, venceu 3 e perdeu 2 eleições.

E o segundo empregado é o ex-vereador e ex-prefeito Joaquim Geraldo Mendes; pois disputou 6 eleições consecutivas, venceu as 5 primeiras eleições para vereador e a última para prefeito de Santa Rita de Cássia - Bahia.

Já no contexto da parábola sobre o pai e seus dois filhos, Jesus explica que o pai é DEUS.

O primeiro filho representa o povo da exploração sexual e financeira - as meretrizes e os publicanos cobradores de impostos.

O segundo filho é representado pelo povo do judaísmo - grupo religioso que não acredita no cristianismo.

Apesar da lógica indicar que o melhor empregado seria o Joaquim Geraldo por ter sido eleito pelo povo santa-ritense todas as vezes que se candidatou, o pastor João acha que ambos foram bons, mesmo tendo Romualdo perdido duas das cinco eleições que disputou.

Parece que o pastor João deseja no seu grupo político o trabalho realizado por Romualdo no município, assim como Jesus desejou em seu grupo religioso o zelo do judaísmo pela Igreja de Deus.


terça-feira, 30 de maio de 2017

AGRICULTORES DEBATEM POTENCIAL HÍDRICO DE AQUÍFERO DURANTE FÓRUM DO CANAL RURAL NA BAHIA FARM SHOW 2017.

Por Hebert Regis e Nádia Borges
Da Araticum Assessoria de Comunicação


Preocupados com o funcionamento do sistema de recarga do aquífero que se estende sobre todo o oeste da Bahia, os agricultores debateram o potencial hídrico da região, em um Fórum, transmitido ao vivo pelo Canal Rural, na tarde desta terça-feira (30), durante a Bahia Farm Show 2017. A pauta das discussões girou em torno do estudo financiado pelos agricultores, por meio do Programa do Desenvolvimento Agropecuário (Prodeagro), que prevê o monitoramento do Aquífero Urucuia, principal fonte de recarga dos rios que atendem as cidades do oeste da Bahia.


O Fórum trouxe a oportunidade de apresentar aos demais agricultores, presentes no primeiro dia da feira, a viabilidade técnica de um amplo estudo de monitoramento do Aquífero Urucuia. A pesquisa, realizada em parceria entre os pesquisadores da Universidade Federal de Viçosa (UFV), de Minas Gerais, e da Universidade Federal de Nebraska, dos Estados Unidos, tem o objetivo de quantificar a disponibilidade da água e sua importância para os múltiplos usos nas bacias do Rio Grande e Corrente, no oeste da Bahia, o que garante a segurança hídrica para manter a irrigação e, consequentemente, a produção sustentável de alimentos.

Ao ser iniciado em fevereiro deste ano, o estudo será desenvolvido em três linhas, sendo o primeiro passo o levantamento sobre o sequestro de carbono. Segundo Fernando Pruski, pós doutor em recursos hídricos e pesquisador da UFV, já existe uma previsão de uma equipe técnica vir à região nos próximos trinta dias fazer a coleta de informações. “O segundo passo é uma avaliação efetiva do impacto dos usos do solo relacionados à irrigação em termos do posicionamento do aquífero Urucuia e, por fim, o estudo de águas superficiais, sendo todas as etapas concluídas até o final de 2018”, explicou.


Para o presidente da Bahia Farm Show e da Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Celestino Zanella, o estudo vai trazer bases científicas em torno da discussão relacionada ao uso das águas e da irrigação. “Será conhecido exatamente quanto pode ser utilizado das águas superficiais, até termos dados claros e transparentes para serem oferecidos para toda a sociedade”, afirma, ao entender que o estudo vai incentivar o uso mais eficiente da irrigação.

Júlio Busato, presidente da Associação Baiana dos Agricultores de Algodão (Abapa), acredita que essa inciativa é de fundamental relevância para todo o oeste da Bahia. “Vamos apoiar esse projeto para que se chegue a um sistema de controle de nossa água, que nos ofereça segurança para promover a irrigação de forma sustentável e, assim, gerar desenvolvimento, renda e emprego”, sustenta.


Transmitido ao vivo pelo Canal Rural, o Fórum contou, ainda, com a participação do secretário estadual do Meio Ambiente, José Geraldo dos Reis; o secretário estadual de Agricultura, Vitor Bonfim; e do presidente da Fundação Bahia, Ademar Marçal; além de produtores rurais e irrigantes na plateia. O evento abriu a programação de palestras e Workshops oferecidos durante os cinco dias de Bahia Farm Show, que encerra no próximo sábado, 3.

Araticum 30/05/2017

SERVIÇO:
Bahia Farm Show 2017
Data: 30 de maio a 03 de junho de 2017
Local: Complexo Bahia Farm Show: BA 020/242, km 535 - Luís Eduardo Magalhães – Bahia
www.bahiafarmshow.com.br

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:
Hebert Regis – (77) 99978 0913 ou hebert@araticum.jor.br
Nádia Borges – (77) 99115 8050 ou nadia@araticum.jor.br

PREFEITURA DE BARREIRAS/BA ABRE AS CONTAS PÚBLICAS PARA A POPULAÇÃO.

Por Michela Rodrigues
Da Diretoria de Comunicação Social da Prefeitura Municipal de Barreiras - Bahia  

Na tarde desta terça-feira, 30, a Prefeitura de Barreiras respeitando os princípios da legalidade e publicidade das finanças municipais, realizou uma audiência aberta ao público na Câmara Municipal de Vereadores para apresentar os gastos desse primeiro quadrimestre de 2017, assim como os números de receita.

Os prepostos da Secretaria Municipal da Fazenda mostraram o quantitativo dos gastos das secretarias municipais com folha de pagamento e a arrecadação desses primeiros quatro meses.

Segundo o secretário municipal da fazenda, Marcelo Abreu, a prefeitura vem trabalhando para fortalecer a receita e enxugar as despesas da máquina pública. “As audiências serão realizadas sempre dentro do que preconiza a lei, a determinação do prefeito Zito Barbosa é de que nos esforcemos para gerir os recursos de modo responsável e priorizando o aumento da arrecadação para viabilizar mais investimentos na qualidade de vida da população”, destacou Marcelo.


ABERTURA DA BAHIA FARM SHOW 2017 GARANTE ESPAÇO PARA O SOCIAL COM NOVAS ADESÕES AO FUNDESIS.

Por Hebert Regis e Nádia Borges
Da Araticum Assessoria de Comunicação


Cada vez mais sustentável e social, o agronegócio do oeste da Bahia tem mostrado a sua atuação fora do campo, melhorando a vida de pessoas carentes da região, por meio do Fundo para o Desenvolvimento Integrado e Sustentável da Bahia – Fundesis. A 13ª edição da Bahia Farm Show foi palco, logo na sua abertura, nesta terça-feira (30), de novas adesões de agricultores ao Fundo, que financia projetos sociais.

Resultado de uma parceria, iniciada em 2006, entre a Associação de Agricultores e Irrigantes – Aiba e o BNB. Os recursos são obtidos por meio de negociações de custeio dos produtores associados à Aiba junto ao BNB de Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e Correntina.

“Em 11 anos da atuação já foram lançados seis editais, com investimentos de mais de R$ 3,5 milhões em 81 projetos sociais, de 51 instituições de 13 municípios”, disse o superintendente estadual do banco, Antônio Jorge Guimarães. Ele acrescentou que as execuções dos projetos geram empregos temporários e fixos, além do desenvolvimento da economia como um todo.


Para o presidente da Aiba, Celestino Zanella, o sucesso do Fundesis é uma ‘canalização de esforços’. “Esta é a nossa contribuição com o social, cada projeto realizado é uma demonstração do comprometimento do produtor que doa uma parcela dos financiamentos de custeio de suas lavouras para o programa, e por outro lado, está o banco, oferecendo condições mais vantajosas aos produtores”, disse.

Os recursos são destinados a creches, abrigos, orfanatos, pré-escolas centros culturais e esportivos, podendo ser empregados na construção de sedes próprias, reformas, aquisições de mobiliários, equipamentos e outros avanços. Cada instituição pode receber até 50 mil por projetos, com contrapartida de até 25% em serviços e bens. O edital lançado em março de 2017, contemplando R$ 600 mil, recebeu 45 projetos oriundos de instituições de vários municípios da região, e os mesmos serão analisados para aprovação até 15 de junho.


Presente na cerimônia de assinatura, o vice-governador João Leão conclamou os demais agentes financeiros para também apoiarem o projeto, a exemplo do BNB. “Faço aqui uma convocação para bancos como a Caixa Econômica, Banco do Brasil e outros para aderir a este projeto que garante a melhoria da qualidade de vida de a tantas pessoas do nosso oeste baiano”, finalizou. Assinaram termo de adesão os agricultores Valter Gatto e Marcelo Koppes.

Araticum 30/05/2017

SERVIÇO:
Bahia Farm Show 2017
Data: 30 de maio a 03 de junho de 2017
Local: Complexo Bahia Farm Show: BA 020/242, km 535 - Luís Eduardo Magalhães – Bahia
www.bahiafarmshow.com.br

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:
Hebert Regis – (77) 99978 0913 ou hebert@araticum.jor.br
Nádia Borges – (77) 99115 8050 ou nadia@araticum.jor.br

COMDEMA DE BARREIRAS/BA INICIA PROCESSO ELEITORAL PARA ESCOLHA DE CONSELHEIROS.

Por Yonara Alves 
Da Diretoria de Comunicação Social da Prefeitura Municipal de Barreiras - Bahia

Estarão abertas até o dia 19 de junho, as inscrições no processo eleitoral para entidades dos segmentos da sociedade civil organizada e poder econômico interessadas em compor o quadro de membros titulares e suplentes do Conselho Municipal de Defesa de Meio Ambiente de Barreiras – COMDEMA, biênio 2017/2019.


As inscrições são realizadas na sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo, situada no Parque de Exposições Engenheiro Geraldo Rocha, Barreiras – BA. Poderão se escrever para habilitação, as instituições que estejam devidamente cadastradas no COMDEMA, observadas as condições de domicilio e certidão negativa de suas obrigações fiscais municipais, conforme manda seu regimento.


Segundo o Presidente da Comissão Eleitoral Demósthenes Júnior os interessados antes de efetuar as inscrições deverão certificar de todos os itens exigidos. “É de fundamental importância que as instituições se inteirem do conteúdo da Resolução que abre o processo eleitoral certificando de todas as exigências estabelecidas”, completou.


Poderão se escrever para habilitação, as instituições dos segmentos da sociedade civil organizada e do poder econômico, que estejam devidamente cadastradas no COMDEMA, observadas as condições de domicilio e certidão negativa de suas obrigações fiscais municipais, conforme manda seu regimento.


“Para efetuar ou atualizar o Cadastro no COMDEMA, a entidade deverá fazer o preenchimento da ficha, emitida pelo conselho que estabelece os procedimentos que deverão ser adotados para tal cadastro e juntamente com a documentação devidamente atualizada”, esclareceu o secretário de meio ambiente Ailton José.

Mais informações:

http://barreiras.ba.gov.br/wp-content/uploads/2017/05/Resolucao-n-01-2017.pdf

UNIÃO DOS AGRICULTORES E OTIMISMO COM A SAFRA AGRÍCOLA MARCAM ABERTURA DA BAHIA FARM SHOW 2017.

Por Hebert Regis e Nádia Borges
Da Araticum Assessoria de Comunicação


Motivados pelos bons números da safra 2016/2017, a união dos agricultores e o otimismo foram ressaltados como os principais fatores que levaram a 13ª edição da Bahia Farm Show, aberta nesta terça-feira (30), para o patamar internacional, atraindo expositores e caravanas de outros países, como Alemanha, Gana, Índia e Estados Unidos. Durante a solenidade de abertura, agricultores, expositores e representantes de instituições financeiras ressaltaram sobre o protagonismo do agronegócio para o desenvolvimento socioeconômico da região do Matopiba (fronteira agrícola que abrange os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia).


O presidente da Bahia Farm Show e da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Celestino Zanella, ressaltou a importância dos agricultores diante da tecnologia desenvolvida e difundida na Feira. “Se não fosse o empenho coletivo, de todas as pessoas envolvidas, não teríamos condições de fazer um trabalho tão bem feito. Esse é o lugar para encontrar os amigos, ensinar, aprender, ver as inovações, conhecer as máquinas, trabalhar com irrigação, conversar sobre o potencial hídrico do oeste”, pontuou.

Já consolidada como um dos maiores eventos de tecnologia agrícola do Brasil, a Feira espera receber, durante os cinco dias, mais de 60 mil pessoas, que devem conferir todas as novidades em tecnologia agrícola, expostas nos mais de 200 estandes de máquinas e implementos agrícolas.

Produtor homenageado desta edição da feira, Odacil Ranzi, foi um dos pioneiros no cultivo e no desenvolvimento tecnológico da soja no oeste baiano. “Estamos estabelecidos há 37 anos na região, com trabalho profícuo, trazendo renda, desenvolvimento e empregos para a nossa região. Fomos pioneiros no plantio da soja, do feijão carioca, na rotação de culturas com o plantio de milho e no plantio do algodão”, ressaltou. Odacil foi lembrado também pela condução dos trabalhos como vice-presidente da Aiba e na participação da organização das duas últimas edições da feira.


Presente na abertura, o vice-governador da Bahia, João Leão, parabenizou os agricultores baianos pelo sucesso da organização de mais uma edição da Bahia Farm Show. “Esta imensidão de evento só é possível graças à força dos produtores que se dedicaram a estas terras”, ressalta ele, ao adiantar que o governador da Bahia, Rui Costa, visitará a Feira na próxima sexta-feira (2). Na oportunidade, o governo do Estado anunciou convênios para fomentar a agricultura, por meio da concessão de títulos de terras aos agricultores do oeste da Bahia, e uma parceria com a Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB) para o desenvolvimento de suinocultura no município de Barra.

Para o secretário de agricultura, Vítor Bomfim, a realização da Feira neste ano está cercada de boas expectativas por conta da safra, superando os anos difíceis que os agricultores atravessaram. “É preciso que a gente facilite a concessão das licenças ambientais, sobretudo nas áreas onde há o cultivo há bastante tempo, para que não seja necessária a renovação todos os anos”, afirma.


Já o prefeito de Luís Eduardo Magalhães, Oziel Oliveira, reforçou a luta dos agricultores diante dos entraves de logística e burocráticos, principalmente em relação aos licenciamentos ambientais, sugerindo uma plataforma única específica para a região como forma de desburocratizar a produção fomentada pelo oeste da Bahia. “Juntamente com outras associações de agricultores, também lanço outro desafio para que seja assinado pelo governador que uma pequena parcela do recurso do ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis) para o Prodeagro (Programa de Desenvolvimento do Agronegócio) para que seja revertido para investimentos em melhorias e logística, a exemplo das estradas”, afirma.

Araticum 30/05/2017

SERVIÇO:
Bahia Farm Show 2017
Data: 30 de maio a 03 de junho de 2017
Local: Complexo Bahia Farm Show: BA 020/242, km 535 - Luís Eduardo Magalhães – Bahia
www.bahiafarmshow.com.br

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:
 Hebert Regis – (77) 99978 0913 ou hebert@araticum.jor.br
Nádia Borges – (77) 99115 8050 ou nadia@araticum.jor.br

VEREADOR ELOINHO CONTINUA CAÇANDO LARANJA NOS POÇOS ARTESIANOS DO MUNICÍPIO DE SANTA RITA DE CÁSSIA/BA.

Por Luciano Guedes 
Editor do DRP

O Vereador Eloinho continua caçando laranja nos poços artesianos do município de Santa Rita de Cássia - Bahia.

Isso por que o edil encontrou na prestação de contas da Prefeitura, somente no exercício do ano 2013, pagamentos à empresa ERISVALDO DE SOUZA OLIVEIRA (ME) que somam R$ 87.400,00 pela manutenção de poços artesianos.



Acontece que o parmentar se assombrou ao constatar que o proprietário da empresa, um senhor conhecido por Pintadinho, exerce o ofício de carpinteiro. Não se tem notícia desse cidadão exercendo outro negócio, a não ser o de carpintaria. E ainda a empresa estaria em débito de impostos com a Receita Federal e o seu proprietário passando por dificuldades financeiras em adquirir uma motocicleta usada - apesar de ter ganho tanto dinheiro. Por isso, suspeita-se que a empresa tivesse sido aberta apenas para servir a uma esquema laranja para beneficiar outrem...

A pessoa que vem dando manutenção aos poços artesianos é o mecânico e vereador com dois mandatos consecutivos Toinho Filho - atual vice-presidente da Casa de Lei. Bem antes de ser parlamentar, o edil vinha prestando esse serviço e diz que nunca recebeu nada por isso, prestou e presta o serviço para ajudar o povo santa-ritense a não morrer de sede na zona rural do município.

Com essa negativa, o vereador Eloinho quer saber quem foi o verdadeiro beneficiário desse dinheiro. Teria Pintadinho recebido o dinheiro sem prestar o serviço, enquanto Toinho Filho prestou o serviço sem receber nenhum dinheiro? Isso seria uma injustiça e tem gerado muitas discussões nos últimos debates na Câmara de Vereadores.

Existe uma Lei que proíbe vereador ter qualquer tipo de contrato de prestação de serviço com empresa pública. Então, o edil Eloinho suspeitou que esse tivesse sido o motivo da criação da empresa... Só que essa insinuação foi rechaçada com veemência pelo edil Toinho Filho na sessão do dia 8 de maio de 2017 e pelo proprietário da empresa nesta sessão da noite de ontem, dia 30 deste mês e ano.

O edil Toinho Filho dissera nunca ter firmado contrato com empresa pública e que quem tem contrato com o Banco do Brasil - uma empresa pública - é o vereador Eloinho para prestar serviços em seu escritório de Agronomia elaborando projetos para os produtores rurais. Concluiu dizendo que na próxima insinuação sem prova, iria pedir à Presidência da Casa de Lei a abertura de um processo administrativo por quebra de decoro contra o parlamentar Eloinho.

Já Pintadinho enviou um texto que foi lido pela Mesa da Câmara se defendendo da informação dada por Eloinho de que sua empresa estivera em débito junto à Receita Federal. Foram apresentadas certidões alegando que a empresa está em dias e foi feito um pedido à Presidência para ter acesso à fala do parlamentar na sessão para poder mover um processo.

Por sua vez, Eloinho rebateu a ambos. Primeiro discordando da ata da sessão, pois não consta a fala de Toinho Filho afirmando ter prova que o escritório do engenheiro agrônomo Eloinho tem contrato assinado com o Banco do Brasil. Segundo Eloinho, seu escritório não tem nenhum contrato com empresa pública.

Parece que Eloinho quer levar o caso para ser investigado pela Justiça. É tanto que o Caça Laranja disse ser bom mesmo que procurem a Justiça para processá-lo, assim o Judiciário poderá investigar esses pagamentos quebrando os sigilos bancários dos suspeitos de integrar esse esquema laranja.

E o proprietário da empresa terá a oportunidade de informar o local de funcionamento da mesma e provar que prestou ou ainda presta algum serviço de manutenção de poços artesianos nesse Município do Vale do Rio Preto do Oeste Baiano.


CANTOR WALLAS NARDELIO DE REPERTÓRIO NOVO: "ABRINDO O BAR" É O NOME DO NOVO ÁLBUM DO ARTISTA - BAIXE AGORA MESMO E OUÇA AS 10 FAIXAS DE MÚSICA DO SERTANEJO SANTA-RITENSE!

Por Luciano Guedes 
Editor do DRP
Com informação e imagem do artista 

O cantor Wallas Nardelio lançou, neste mês de maio de 2017, o seu mais novo álbum de músicas sob o título de ABRINDO O BAR. As 10 faixas de música do álbum do artista encontram-se disponíveis para baixar gratuitamente em:

<https://www.suamusica.com.br/Carlyson/wallas-nardelio-abrindo-o-bar-2017-vol-2>

Baixe agora mesmo e ouça/curta o repertório novo do sertanejo santa-ritense Wallas Nardelio.


CITY TOUR POR BARREIRAS AMPLIARÁ O ZELO PELO CENTRO HISTÓRICO E ATRAIRÁ INVESTIMENTOS PARA A CAPITAL DO OESTE.

Por Michela Rodrigues
Da Diretoria de Comunicação Social da Prefeitura Municipal de Barreiras - Bahia  


Os apreciadores da natureza, profissionais da imprensa, agenciadores de turismo e participantes do primeiro City Tour por Barreiras estão definindo como encantador e incentivador, o passeio pelo circuito preparado pelo Departamento de Turismo. As visitas que aconteceram de 26 a 30 de maio, a bordo do micro-ônibus executivo, mostraram aos visitantes o primeiro roteiro turístico, explorando uma parte urbana singular.


O embarque na Praça Castro Alves foi iniciado pela apresentação do roteiro. Sob a condução da guia Fernanda Henn, os participantes do tour percorreram a orla do cais, passando pelo Mercado Cultural Caparrosa, prédio centenário que marcou época no inicio da povoação da pequena comunidade de São João das Barreiras. As primeiras ruas do Centro Histórico, o circuito Humaitá, também fez parte da programação, apresentando uma visão histórica ainda preservada pelos moradores.


O antigo Matadouro e a Rua das Turbinas também foram visitados, e a guia Fernanda fez uma abordagem demonstrativa da valiosa contribuição sociocultural que essas duas construções representam para Barreiras, valorizando ainda, a história do Engenheiro Dr. Geraldo Rocha, um homem muito a frente do seu tempo. O Mirante Quipá na Serra da Bandeira finaliza o passeio, tendo acesso pela trilha ecológica. Nesse espaço, os observadores têm a oportunidade de comtemplar uma visão panorâmica extraordinária de Barreiras, com segurança após a colocação da estrutura de Guard Rail.


A diretora de turismo Mirtes Lima disse que a iniciativa é para despertar nos empresários do setor hoteleiro, taxistas, agencias de turismo, bares e restaurantes, a intenção de disponibilizar um roteiro oficial do serviço de city tour na cidade.


“Superamos nossas expectativas nesse primeiro tour turístico. Quem conhece Barreiras sabe como é maravilhoso observar a história desses 126 anos, além de contemplar todas as belezas naturais. Tivemos a preocupação de treinar a guia de turismo, para acompanhar o city tour, e já estamos preparando um roteiro para o primeiro curso de guias mirins que a SEMATUR estará realizando ainda este ano”, garantiu.


No primeiro dia, o prefeito Zito Barbosa, a vice Karlúcia Macêdo e secretários participaram do city tour. Durante a visita, o prefeito reforçou o objetivo de incentivar o roteiro para o trade turístico e implementar ações para ampliar o acesso da população aos pontos turísticos urbano e rural.


“Comemoramos o aniversário de Barreiras com incentivos em todas as áreas. O turismo não poderia ser diferente, porque temos muito potencial e precisamos oportunizar o acesso da população a história de Barreiras. Esse roteiro é uma mostra turística que vamos valorizar, e os moradores, turistas e empresários precisam conhecer as maravilhas da natureza e o patrimônio histórico que temos aqui, dentro do perímetro urbano. Agora, nossa meta é também abrir um leque de opções para o turismo rural, com estrutura nas cachoeiras e roteiro de visita as comunidades rurais. Fizemos questão de fazer o roteiro do Tour, para definirmos os investimentos necessários no aprimoramento e expansão do turismo local”, disse o prefeito.